Organizado na defesa e letal no ataque, Sport surpreende e vence o Santos na Vila

Foi uma vitória redentora. E merecida, diga-se de passagem. Apresentando um futebol organizado, taticamente perfeito e sólido defensivamente, o Sport soube segurar o Santos, neste sábado, sem sofrer pressão em momento algum. Apesar de desfalcado, o Leão se mostrou uma equipe sem açodamento neste sábado. Ajustado, foi letal quando teve a chance e garantiu os três pontos com gol de Osvaldo, que entrou no segundo tempo. Foi a primeira vitória rubro-negra da história sobre Peixe, na Vila Belmiro.A vitória, inclusive, completou de maneira bastante positiva a sequência de dois jogos do Leão fora de casa, recuperando-se dos dois jogos anteriores em casa sem vitórias. Empate com Atlético-MG e agora vitória sobre o Santos. Quatro pontos longe do Recife que garantiram a saída do Sport da zona de rebaixamento. Os rubro-negros voltam a campo na próxima quarta-feira, para fazer a final do Campeonato Pernambucano contra o Salgueiro, no Sertão. Pela Série A, joga agora somente no domingo, contra o Atlético-PR, na Ilha do Retiro.



O jogo 
Marcação mordendo. Time taticamente muito bem postado em campo, setores equilibrados. Os muitos desfalques do Sport para enfrentar o Santos foram supridos à base de muita organização e disposição dos rubro-negros. Sem Rithely, suspenso, e Durval, Samuel Xavier e Osvaldo, poupados pelo desgaste muscular (o trio ficou como opção no banco de reservas), o técnico Vanderlei Luxemburgo optou por Rodrigo, Henríquez, Prata e Lenis, respectivamente. Escalação conservadora, que trouxe ao Leão a manutenção do mesmo bom futebol apresentado contra o Atlético-MG, na última rodada. 
 
Tanto que o Sport fez um primeiro tempo positivo. Bem Fechado, esperando a oportunidade do contra-ataque, o time poderia até ter saído para o intervalo vencendo. A primeira chance, porém, foi do Peixe. Aos 15 minutos, Copete lançou Kayke nas costa de Ronaldo Alves. O atacante saiu de cara com Magrão e  mandou para fora. Aos 20, André enfiou a bola para Lenis, que parou em Vanderlei. No rebote, o mesmo Lenis tentou encobrir o goleiro, mas errou de novo. 
 
Com Diego Souza distribuindo bem o jogo, Everton Felipe apresentando menos erros, Patrick e a novidade Rodrigo marcando forte no meio de campo, o Leão em nenhum momento sofreu pressão. O maior susto da etapa veio no fim. Aos 44, Kayke recebeu Lucas Lima e bateu bonito. Magrão ficou na torcida e a bola foi para fora.

Segundo tempo

O Sport voltou para a etapa final com a mesma postura: marcando bem atrás e tentando se valer da velocidade nos contra-ataques. Diante de um Santos apresentando em muitos momentos certo desinteresse em campo, o Leão foi levando o jogo a seu modo, segurando o satisfatório empate fora de casa. Não, porém, sem tomar sustos. Aos 22, a melhor chance do jogo. Kayke cruzou rasteiro, Magrão cortou parcialmente e, no rebote, Jean Mota, sozinho, isolou. 
 
À vontade na partida, apesar de não criar tantas oportunidades, o Leão chegou ao gol da vitória aos 35 do segundo tempo. Minutos após entrar em campo na vaga de Everton Felipe, Osvaldo aproveitou falha da defesa santista e empurrou para as redes. Em vantagem no placar, o Leão se fechou ainda mais na defesa e, organizado, manteve a vantagem que garantiu os três pontos.
 
Ficha do jogo
 
Santos 0

Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Nogueira e Jean Mota; Renato, Tiago Maia (Vladimir Hernández) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke (Vitor Bueno). Técnico: Levir Culpi.
 
Sport 1
Magrão; Raul Prata (Samuel Xavier), Ronaldo Alves, Henríquez e Sander; Rodrigo (Tallyson), Patrick, Diego Souza, Everton Felipe (Osvaldo) e Reinaldo Lenis; André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
 
Estádio: Vila Belmiro (Santos-SP). Árbitro: Rafael Traci (PR). Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR). Gol: Osvaldo (35’ do2ºT) (S). Cartões amarelos: Lenis. Público: 7.292. Renda: R$ 215.970,00.